O futuro dos serviços bancários não é para os bancos

O futuro dos serviços bancários não é para os bancos

Por Equipe Live On Solutions

Em 1994, Bill Gates, à época megaempresário do Grupo Microsoft e hoje filantropo, em uma de suas muitas previsões, disparou “Banking is necessary, banks are not”, ou seja, os serviços bancários são necessários, os bancos não são!

Possivelmente, nessa época a frase não foi entendida ou poucos deram algum crédito, pois, o Monte dei Paschi di Siena (MPS), fundado em 1472 e considerado o banco mais velho do mundo e tantos outras instituições similares, apresentavam lucros estratosféricos.

A transformação digital

De 1994 até os dias de hoje, muita coisa mudou, principalmente na área tecnológica, que trouxe a transformação digital.

Os serviços bancários foram impactados por elas, possibilitando o surgimento das fintechs, empresa de serviços financeiros baseados em tecnologia; e estas trouxeram novas possibilidades de resolver problemas com maior rapidez e sem a burocracia dos bancos tradicionais.

Entre elas está a Live On, que desde 2018 especializou-se em desenvolver e criar soluções de Banking as a Service – BaaS e Credit as a Service – Caas, com plataformas completas para as operações das fintechs.

Com essas plataformas, os bancos digitais, empresas comerciais, entre outras, podem oferecer uma gama variada de serviços bancários para seus clientes, como conta digital, pagamentos, recebimentos, empréstimos e até planos de seguros de vida, automóvel, motocicleta, bicicleta, residencial etc.

Banking sem banco

Na Live On costumamos dizer que o futuro dos serviços bancários é não para os bancos.

Em breve, médios e pequenos empreendimentos irão oferecer esses serviços em uma plataforma customizada, com a marca e cores do empreendimento.

Para possibilitar isso, a LIVE ON se especializou em criar microsserviços permitindo ao cliente montar o pacote de banking que melhor atende ao seu público e estratégia empresarial.

A arquitetura de microsserviços oferece versatilidade e diversidade, para a empresa oferecer o serviço exato que o seu cliente necessita.

Esse é o objetivo principal da Live On: desenvolver soluções para monetizar as empresas por meio das fintechs; oferecendo soluções “sob medida” às características de cada empreendimento e de forma omnicanal.

Bancos digitais para PME

Como citamos no artigo anterior, a fintechização dos mercados já é realidade em muitos países e, no Brasil está caminhando a passos largos.

Cada vez mais pequenos e médios empreendedores procuram oferecer mais facilidades aos clientes e proporcionar maior agilidade e flexibilidade para suas finanças.

Os serviços de pagamento instantâneos iniciados no final de 2020 vão ganhar novas funcionalidades, também estão em desenvolvimento as green fintechs, empresas que tem como pilares a sigla ESG – Environmental, Social e Governance, ou meio ambiente, sociedade e governança. Também devem chegar, em breve, as payrolls, que são fintechs de adiantamento de salários e benefícios corporativos.

Todas essas modalidades irão transformar ainda mais o mercado de serviços bancários, o que forçará os bancos tradicionais a criar uma nova proposta de valor.

A Live On, para apoiar as fintechs a também oferecerem uma proposta de valor consistente com a necessidade do mercado que atua, oferece o programa de aceleração e crescimento, chamado Impulse On.

Neste programa as futuras fintechs cumprem as etapas de Incubadora – Planejanmento ) Ativação e Resultados.

Nesta última etapa, com produtos e serviços validados, a fintech já está monetizando, uma vez que oferece microsserviços e produtos dirigidos especificamente para seu público-alvo.

Com as fintechs, os clientes de serviços bancários não precisam comprar um pacote pré-estabelecido pela empresa, eles têm o poder de optar pelos serviços que lhes são necessário.

E, isso é o futuro já no presente.

Deixe uma resposta